O Rotary International

O Rotary International (http://www.rotary.org) é a associação de todos os Rotary Clubs do mundo. Cada Rotary Club é composto por líderes de negócios e profissionais de ambos os sexos que prestam serviços humanitários, fomentam um elevado padrão de ética em todas as profissões e ajudam a estabelecer a paz e a boa vontade no mundo.

O objetivo do Rotary é estimular o Ideal de Servir, como base de todo empreendimento digno, promovendo e apoiando o desenvolvimento do companheirismo como elemento capaz de proporcionar a oportunidade de servir; o reconhecimento do mérito de toda ocupação útil e a difusão das normas de ética profissional; a melhoria da comunidade pela conduta exemplar de cada um na vida pública e privada e a aproximação de profissionais de todo o mundo, visando a consolidação das boas relações, da cooperação e da paz entre as nações.

Tudo começou na região centro-leste do continente norte-americano, onde encontramos os grandes lagos. O que está mais ao sul é conhecido como lago Michigan, às margens do qual está a cidade de Chicago. Lá, em 23 de fevereiro de 1905, nasceu o Rotary lnternational, fruto do encontro de 4 amigos de profissões diferentes, um advogado, um comerciante de carvão, um engenheiro de minas e um comerciante de roupas. Tomou o nome de Rotary porque em seu começo as reuniões realizavam-se rotativamente nos escritórios de cada um de seus associados, o que na medida em que os clubes cresciam mostrou-se inviável, sendo então escolhidos locais fixos para a realização das reuniões. Tendo se expandido para além das fronteiras norte-americanas, recebeu o qualificativo International.

O idealizador do Rotary foi o advogado Paul Percy Harris, que na época da fundação do clube contava 35 anos de idade. Buscavam os fundadores criar uma sociedade em que predominasse a ética e as pessoas pudessem se relacionar pessoal e profissionalmente encontrando o mesmo ambiente de confiança, camaradagem, familiaridade e pertinência que haviam conhecido em suas infâncias e juventude, nas pequenas comunidades das quais eram oriundos, condições estas que em tudo contrastavam com o clima efervescente de uma cidade cosmopolita, turbulenta, corrupta e cheia de crimes, já grande e ainda em expansão, como era a Chicago do início do século XX.

Inicialmente voltados para os contatos social e profissional, tudo mudou quando, dois anos depois de sua fundação, o Rotary realizou o seu primeiro projeto voltado para a comunidade, a instalação de um banheiro público em uma movimentada rua do centro de Chicago. Esta iniciativa, marco em nossa história, fez com os rotarianos descobrissem o seu potencial para servir.

Com a base no tripé relacionamento social, relacionamento profissional e serviço comunitário passou o Rotary a crescer rapidamente. Em 1910, tornou-se internacional com a abertura do primeiro clube em Winnipeg, no Canadá, e em 1911 chegou à Europa com a abertura de clubes em Dublin e Londres. Hoje, está presente em 168 países e conta com mais de 1.200.000 rotarianos, distribuídos por cerca de 32.000 clubes. Poucos são os países que ainda não possuem um clube de Rotary.

O trabalho do Rotary reflete um século de bons serviços, que só foram possíveis pela participação de seus associados, que identificam as necessidades das comunidades onde estão inseridos e através de seus esforços pessoais e de contribuições de companheiros e de parceiros conseguem suprir aquelas carências.

Para que o trabalho dos rotarianos produzisse os resultados almejados, em 1917 criou-se um fundo de dotações que posteriormente se tornaria a Fundação Rotária. No início as contribuições eram pouco significativas, mas, após a morte de Paul Percy Harris em janeiro de 1947, aos 78 anos, inspirados pela maneira simples de viver do idealizador do Rotary e em sua memória, os rotarianos trabalharam para a rápida evolução da Fundação Rotária com contribuições significativas. É através da Fundação – seu braço financeiro - que o Rotary financia os programas humanitários que realiza no mundo. Poderíamos discorrer por páginas e páginas sobre estes programas e estaríamos tocando apenas em uma pequena fração do trabalho que foi e está sendo realizado.

grande destaque é um programa iniciado em 1985, como conseqüência do envolvimento prévio do Rotary na área de saúde pública. Apercebendo-se da aproximação de seu centenário, que aconteceria dentro de 20 anos, o Rotary International comprometeu-se a dar um presente a todas as crianças do mundo na data em que estivesse comemorando o seu primeiro século de existência. A tarefa, uma missão quase impossível, trabalho para 20 anos, uma parceria com a Organização Mundial da Saúde, o Fundo das Nações Unidas para as Crianças, o UNICEF, e outros, era: eliminar a poliomielite da face do planeta Terra. Estava criado o programa Pólio Plus - as gotas que salvam. O número de casos de poliomielite reduziu-se de 300.000 por ano, em 1988, para menos de 1000 em 2004. Em muitas regiões do planeta a tarefa não é simples pois há problemas de conflitos regionais e de logística para que as vacinas cheguem aos mais distantes rincões. Os rotarianos não medem esforços para vencerem todas estas dificuldades que se apresentam.

Até o final de 2005 o Rotary terá investido mais de 600 milhões de dólares no programa Pólio Plus, sendo o maior parceiro não governamental no investimento realizado para a erradicação da poliomielite, responsável sozinho por um quarto do total de fundos aplicados no programa.

Nos últimos 20 anos, o programa imunizou mais de 2 bilhões de crianças e mais de 1 milhão de voluntários do Rotary se dedicaram aos dias nacionais de imunização. Os rotarianos esperam o fim da poliomielite no ano do centenário – 2005 - nosso presente de aniversário para o mundo.

Os programas da Fundação Rotária não se resumem ao Programa PolioPlus. Muitos outros são realizados, e de 1936 até 2001 a Fundação Rotária já despendeu quase 1,2 bilhão de dólares na concretização de todos os programas que patrocina.

Mais de 200.000 jovens já participaram do Programa de Intercâmbio Internacional, o qual é realizado com os mais variados países do mundo, estando aptos a participarem jovens de todos os países onde o Rotary está estabelecido. No ano do centenário de fundação do Rotary os Distritos da Capital de São Paulo estarão ultrapassando a marca dos 100 jovens embarcados, num único período, para os programas de um ano nas casas de famílias estrangeiras e recebendo igual número de embaixadores de outras nações, como chamamos estes jovens. Neste ano, 2005, por primeira vez, estaremos recebendo uma intercambiada do Timor Leste, país que recentemente se libertou do domínio indonésio e se reestrutura com a ajuda do Brasil, e que literalmente fica do outro lado do mundo.

Acima de 42.000 jovens profissionais participaram do Programa de Intercâmbio de Grupos de Estudo no exterior e cerca de 80 milhões de dólares foram empregados para financiar este Intercâmbio.

Já foram concedidas 34.000 bolsas educacionais de nível universitário, e recentemente foram criadas as Bolsas Pró Paz para a resolução de conflitos, com cursos especialmente preparados, ministrados em 7 centros universitários escolhidos ao redor do mundo.

Foram realizados 16.000 Programas de Subsídios Equivalentes, dotações de verbas oriundas de parcerias entre dois clubes de diferentes nações e a Fundação Rotária, outorgadas a projetos humanitários internacionais, dos quais nosso país é participante ativo.

Além dos programas da Fundação Rotária, os Rotary Clubs no Brasil se dedicam a muitos outros programas executados no âmbito de suas comunidades, com recursos próprios ou em parceria com forças da comunidade.

O Brasil teve o seu primeiro clube em 1922, no Rio de Janeiro e, em 1924, o segundo em São Paulo, o Rotary Club de São Paulo. Somos cerca de 52.000 associados no Brasil, distribuídos em aproximadamente 2.300 clubes, sendo que nosso país é o terceiro em número de clubes e o quinto em número de associados no mundo rotário.

Paul Harris, o fundador do Rotary, esteve no Estado de São Paulo em abril de 1936 e visitou o eixo Santos-São Paulo, indo até Campinas. Paul e sua esposa Jean desembarcaram no porto de Santos e foram recebidos por numerosa comitiva de rotarianos e personalidades. Na cidade de São Paulo plantou uma árvore na Praça da República em local defronte à Av. Vieira de Carvalho e jantou com rotarianos no Hotel Therminus, onde discursou.

Nestes 100 anos de existência, nosso país deu 3 presidentes ao Rotary International. O primeiro foi o paulistano Armando de Arruda Pereira, que comandou o Rotary no exercício 1940-1941, e que também foi prefeito da Cidade de São Paulo de 1951 a 1953. O segundo foi o carioca Ernesto Imbassahy de Mello, que exerceu seu mandato no exercício 1975-1976 e o terceiro o santista Paulo Viriato Correa da Costa, 1990-1991, que para manifestar a preocupação do Rotary com a ecologia, já no final dos anos 80, cunhou a frase sempre lembrada Preserve o Planeta Terra, que acabou virando um dos programas permanentes de Rotary, responsável pelo plantio de mais de 10 milhões de árvores ao longo de sua história.

Falar do trabalho do Rotary é falar de um século de serviços dedicados à humanidade e à promoção da paz e da boa vontade entre os homens. O Rotary é a única organização não governamental com assento permanente na Organização das Nações Unidas, que ajudou a criar no final da segunda grande guerra, em 1945.